• (31) 3846-5745
  • atendimento@fgpa.org.br
Compromisso.
Responsabilidade.
Confiança.
previous arrow
next arrow
Slider

Projetos

Raízes e Asas do Uatú Nék​

O que é?

Raízes e Asas do Uatú Nek é um projeto de formação de jovens lideranças  que busca desenvolver o pensamento crítico para atuarem como protagonistas em relação às questões socioambientais. Será Desenvolvido pela Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu, em parceria com a Fundação Renova em 20 municípios que compõem a calha do Rio Doce.

 Uatú (rio) Nék (doce) – na linguagem dos índios botocudos que habitaram a região.

Onde irá acontecer? 

O projeto será desenvolvido nas cidades: Bom Jesus do Galho, Bugre, Caratinga, Córrego Novo, Dionísio, Fernandes Tourinho, Iapu, Ipaba, Ipatinga, Marliéria, Pingo D’Água, Raul Soares, Rio Casca, Santana do Paraíso, São Domingos do Prata, São José do Goiabal, São Pedro dos Ferros, Sem-Peixe, Sobrália e Timóteo.

Quem pode participar ?

Serão mobilizados 400 jovens de 15 a 29 anos, que fazem parte dos 20 municípios citados. Queremos desenvolver ações motivacionais e descobrir talentos. Juntos vamos fazer a diferença. Venha fazer parte dessa experiência! 

Quando vai acontecer?

Você poderá fazer a sua inscrição para participar conosco a partir do segundo semestre de 2020. Durante 1 ano e 8 meses estaremos com você estimulando sua criatividade, liderança, iniciativa empreendedora e sua capacidade de reinventar histórias e modos de vida por meio de suas ações. 

Como será a formação?

Serão 96 horas de atividades presenciais:

Oficinas – “Como eu me identifico comigo, com o outro e com o meio ambiente”; “planejamento e elaboração de projetos, técnicas de mobilização para fazer diferença no município.”

Vivências – Autoconhecimento, arte (teatro, música, artes plásticas, filmes, fotografias) e muito mais.

Redes de juventude – Estabelecendo conexão com outras lideranças jovens ao longo da bacia do Rio Doce para o desenvolvimento socioambiental em nossa região.

A presença é obrigatória durante todo o processo, com dias e horários que serão definidos em cada municípios, favorecendo a participação de quem estuda e/ou trabalha.

Quanto custa participar?

A participação é totalmente gratuita e  o projeto oferece:

  • acompanhamento técnico e pedagógico, presencial e online; 
  • materiais pedagógicos; 
  • cobertura dos custos logísticos (transporte, alimentação), quando necessário; 
  • certificado de conclusão da formação;
  • experiência rica e única para colocar em práticas seus sonhos e objetivos.

Venha participar com a gente!

Raízes e Asas do Uatú Nek  é uma parceria entre a Fundação Renova e a Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu. Juntos, através da Rede Jovem do Rio Doce, queremos promover a formação de jovens lideranças para atuarem como protagonistas na revitalização da bacia do Rio Doce.

Participe com a gente desta grande transformação!!!

Monitoramento e avaliação do programa parceria Votorantim pela Educação

Em 2018 a FGPA venceu concorrência, aberta em nível nacional, sendo a entidade escolhida pelo Instituto Votorantim para compilar e analisar os resultados dos municípios participantes da Parceria Votorantim pela Educação (PVE) durante a realização do Ciclo 4 do programa nos 104 municípios participantes.

O programa parceria Votorantim pela Educação (PVE)

A Parceria Votorantim pela Educação é uma iniciativa que busca contribuir para a melhoria da educação pública nos municípios onde a Votorantim atua, por meio da qualificação das práticas de gestão educacional e escolar e da mobilização social das comunidades onde atua. Existente de 2008, em 2018 o programa esteve presente em 104 municípios de 17 estados brasileiros.

Fonte: site Instituto Votorantim, 2018

Visando contribuir para a melhoria da educação pública do município, o PVE atua em três frentes principais:

  • Frente de Mobilização Social: busca atender a demanda por uma educação de qualidade, fortalecendo o papel dos diferentes setores da sociedade. A equipe PVE convida representantes de setores estratégicos da comunidade (pais, alunos, ONGs, igrejas, etc.) para realizar atividades que mobilizem toda a sociedade em torno do tema priorizado para a educação no município.
  • Frente de Apoio à Gestão Educacional: busca fortalecer as competências profissionais dos gestores educacionais que contribuem para a melhor aprendizagem na rede, apoiando e acompanhando a gestão escolar
  • Frente de Apoio à Gestão Escolar: busca fortalecer as competências profissionais dos gestores escolares (diretores e coordenadores pedagógicos das escolas) que contribuem para a maior aprendizagem na rede. 

O PVE promove ações e oportunidades formativas para o desenvolvimento de competências em gestão e mobilização social, a fim de que os participantes possam contribuir, cada um em seu papel profissional e social, na melhoria da educação do município. Para acompanhar o desenvolvimento dos participantes foi desenvolvida uma Matriz de Competências, que abrange um total de 21 competências trabalhadas pelo programa e com potencial de favorecer a atuação eficiente de gestores educacionais e escolares e fomentar a mobilização da sociedade civil (8 competências na Frente de Gestão Educacional, 8 na Frente de Gestão Escolar e 5 na Frente de mobilização social).

No contexto do Programa as ações de monitoramento e avaliação são fundamentais e, dessa forma, a FGPA foi contratada para a realização dessas ações, o que se efetivou entre outubro de 2018 e março de 2019.

Objetivo: compilar e analisar a evolução da maturidade de cada um dos 104 municípios participantes do PVE em 2018, a partir dos resultados da Matriz de Competências do programa e de dados qualitativos coletados em municípios selecionados, nas três frentes de atuação (Gestão Educacional, Gestão Escolar e Mobilização).

Atividades de monitoramento e avaliação desenvolvidas

Verificação da neutralidade do processo de aplicação da Matriz de Competências

  1. Acompanhamento presencial da aplicação da Matriz de Competências do PVE nas frentes de Gestão Educacional, Gestão Escolar e Mobilização, visando garantir a efetivação da atividade dentro do roteiro preestabelecido pelo Instituto Votorantim, em 22 municípios, durante o Ciclo 4.
  2. Realização de auditoria de 25% das reuniões gravadas, referentes às localidades onde não haverá acompanhamento presencial (60 reuniões).

Realização de análise qualitativa da implementação do programa em municípios selecionados

III. Estruturação de metodologia para análise qualitativa da implementação do programa, visando identificar fortalezas, legado e pontos de melhoria da metodologia do programa.

  1. Análise qualitativa da metodologia de implementação do programa em campo, em 12 municípios selecionados.

Consolidação e análise de todos resultados coletados no ciclo 4 em 104 municípios

  1. Tabulação e consolidação de todos os dados coletados da Matriz de Competências nos 104 municípios, nas frentes de Gestão Escolar, Gestão Educacional e Mobilização.
  2. Análise os resultados e produção de relatório final.

Projeto “Faz de Contos: contos africanos e afro-brasileiros em performances culturais (Fundação Vale)

Contextualização do tema do projeto – situação atual

A relevância desse projeto está na importância da contação de histórias para o desenvolvimento da criança e na primazia aos contos africanos e afro-brasileiros. Contar histórias contribui efetivamente com aprendizagens sociais, afetivas, culturais e cognitivas das crianças, inclusive, no processo de aquisição da leitura. Além disso, com os contos as crianças acessam o elemento mágico e a multiplicidade de sentidos, podem adequar conteúdos inconscientes às fantasias, construindo identidade e se fortalecendo para lidar com conflitos do mundo interno e externo. Contar histórias africanas nas escolas, onde reinam personagens de um modelo eurocêntrico, contribui para fortalecer a autoestima de crianças negras e afro-descendentes. Ressalmos que a ONU proclamou a Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024) e que esse projeto coopera para maior conhecimento, reconhecimento e respeito pela cultura e patrimônio desses povos, no Brasil.

FUNDAMENTAÇÃO DO PROJETO.

Descrição da ação social

O Projeto Faz de Contos articula teatro, ritmos, contos e artes plásticas em atividades lúdicas e interativas de contação de histórias africanas e afro-brasileiras para crianças, professores e familiares, em ambientes educativos. O trabalho terá como principal foco instituições públicas de áreas periféricas das cidades, que atendem crianças entre 03 e 09 anos. Dados indicam que uma significativa parcela desse grupo é de descendência afro-brasileira. O projeto visa contribuir para o desenvolvimento afetivo-emocional, social e cognitivo dos sujeitos envolvidos; potencializar a construção de novos significados na relação escola, família e comunidade; favorecer o fortalecimento de vínculos familiares; promover o desenvolvimento da autoestima e valorizar a identidade afro-brasileira; contribuir para aprendizagens relacionadas à aquisição da leitura, interpretação e expressão oral. No intuito de propiciar a continuidade da contação de histórias, tanto nas escolas, quanto nos lares, serão realizadas oficinas de capacitação para professores e familiares. Além disso, a associação entre contos e artes plásticas, por meio da pintura de painéis coletivos, possibilita outra forma de expressão simbólica dos contos, das emoções que eles despertam, de sua interpretação e reconto em processos interativos. No projeto haverá as seguintes atividades: sessões de contação de histórias, oficinas de ilustração, oficinas de capacitação em contação de histórias, evento final.

 

Situação esperada

Por meio das ações do projeto pretende-se contribuir para a transformação dos ambientes educativos por meio da contação de histórias e de expressão de artes plásticas, favorecendo assim um processo de aprendizagem mais criativo, dinâmico e lúdico. Busca-se também uma efetiva valorização e reconhecimento da cultura africana e afro-brasileira contribuindo para maior autoestima de crianças negras e/ou afrodescendentes. Por meio do curso de capacitação para educadores e familiares pretende-se capacitar as pessoas para dar continuidade às experiências de contação de histórias no cotidiano de instituições educativas e em família. Além disso, serão disponibilizados para as bibliotecas das instituições educativas participantes do projeto, recursos didáticos relativos a contação de histórias, a saber: painéis de ilustração de contos africanos; CDs com livros digitais das histórias contadas nas escolas ilustrados com imagens dos painéis; obra acadêmica referente a Contação de histórias, para fundamentação teórica dos educadores.

Público alvo

  1. Diretos

Total de beneficiados indiretos (número aproximado): 2100

Toda comunidade escolar será atendida indiretamente por meio da exposição dos painéis na escola, além disso, a permanência dos mesmos na biblioteca irá propiciar atividades didáticas de reconto das histórias e produção de textos em outras turmas e em anos posteriores. A partir da capacitação dos professores e familiares em contação de histórias novos alunos e também outros integrantes das famílias serão beneficiados com experiências de contação de histórias

 

Abrangência territorial

As atividades acontecerão nas cidades de Belo Oriente e Coronel Fabriciano: Belo Oriente – Escola Municipal Hilda Morais.  Coronel Fabriciano – Escola Municipal Joaquim de Ávila Neto

 

 

Metodologia

Trabalho multidisciplinar com profissionais de teatro, contação de histórias, pedagogia, psicopedagogia, artes plásticas e arte terapia, utilizando as seguintes estratégias: (1) PESQUISA E SELEÇÃO DE CONTOS africanos e afro-brasileiros. (2) CRIAÇÃO E ENSAIOS das performances de histórias; criação e confecção de figurinos. (3) DIVULGAÇÃO DO PROJETO. (4) CONTATOS E VISITAS ÀS INSTITUIÇÕES para confirmar agenda de ações e divulgação. (5) SESSÕES DE CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS para as crianças, educadores e familiares. (6) OFICINAS DE ILUSTRAÇÃO para as crianças: pintura de painéis. (7) OFICINAS DE CAPACITAÇÃO em contação de histórias para educadores e familiares – atividades teóricas e práticas com jogos de expressão corporal, expressões da cultura afro-brasileira, metodologias de contação de histórias e reflexões enfatizando a importância dessa prática no desenvolvimento humano. (8) EXPOSIÇÃO DE PAINEIS. (9) EVENTO FINAL – socialização de experiências, avaliação e proposição de novos momentos de contação de histórias nas cidades.

Projeto "Intervenção urbana multidisciplinar / Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano e Caixa Econômica Federal"

A FGPA foi vencedora do Processo Licitatório da Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano – Tomada de Preços n. 025/2011. Assim, a partir de outubro de 2011, vem executando o Projeto de Extensão “Intervenção Urbana Multidisciplinar: trabalho técnico social vinculado ao Programa Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social 2007 (FNHIS)”, em parceria com a Secretaria Municipal de Obras, Serviços Urbano e Meio Ambiente. A ação deste Projeto é voltada para o apoio à construção habitacional para famílias de baixa renda. Tem como objetivo apoiar estados, Distrito Federal e municípios na melhoria do padrão mínimo de salubridade, segurança e habitabi- lidade das edificações, produzidas no âmbito do processo de autogestão habitacional no país. As ações progra- madas se darão por intermédio de apoio à prestação de serviços de assistência técnica, assim entendida como o conjunto de ações voltadas à elaboração de projetos, acompanhamento e execução da obra, trabalho social e jurídico necessários para a edificação, reforma, ampliação, conclusão ou regularização fundiária da habitação. Em novembro de 2011, a FGPA, em parceria com o Setor de Extensão do Unileste, executou as seguintes ações:

Reuniões realizadas no bairro Morada do Vale – Coronel Fabriciano – MG, nos dias 3 e 17 de novembro de 2011, com início às 16h30. Local: Centro Comunitário Morada do Vale.

Tema: Encontros sócioeducativos nas áreas de Educação Ambiental, Educação para a Saúde, oficinas e capacitações relacionadas à geração de renda, esporte, lazer e cultura.

Objetivo: a melhoria das condições de vida da população residente nos bairros Morada do Vale e Aparecida do Norte.

Metodologia de Trabalho: atividades como palestras, debates, oficinas, eventos culturais, gincanas, dentre outras. As atividades visam propiciar a participação ativa dos membros da comunidade por meio de ações prazerosas, lúdicas e dinâmicas.

Temas desenvolvidos na área de Educação Ambiental (com vistas à proteção da natureza e da biodiversidade): Relação homem x meio-ambiente; Redução da poluição; Lixo; Hortas e pomares.

Temas desenvolvidos na área de Saúde (com vistas à educação para a Saúde): Cuidados com a Saúde buscando o completo bem-estar físico, psíquico e social e contribuindo para a qualidade de vida de todos; levar informações e atividades para a comunidade (adultos e crianças), orientando e educando sobre a Educação para a Saúde.

Temas desenvolvidos na área de Educação Patrimonial (com vistas à educação patrimonial): identificação das melhorias nos espaços privados e coletivos; preservação da memória; identificação da melhor forma de utilização dos novos espaços; preservação e manutenção das obras realizadas e dos novos espaços públicos implantados.

Cinema Comentado na Estrada / 2011

A Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu foi responsável pela gestão do Projeto de Extensão ‘Cinema Comentado: na Estrada’, que se realiza nas comunidades de atuação da Cenibra. O Projeto tem por objetivo contribuir para a formação de uma consciência crítica nas comunidades formadas pelos empregados, familiares e prestadores de serviços da empresa. Os temas desenvolvidos abordam situações do cotidiano, com destaque para a Educação Ambiental, foco principal dado pela Cenibra. A partir da exibição de obras cinematográficas, o Projeto busca estimular a discussão e reflexão sobre temas diversos relacionados ao dia a dia das comunidades. A escolha dos filmes é feita levando-se em consideração as visitas prévias de sensibilização às escolas, quando são identificadas as temáticas de maior interesse e urgência por parte das comunidades. A projeção dos filmes acontece em um telão, instalado no Cenibra MÓVEL, no pátio das escolas e praças públicas. Após a exibição, as reflexões e discus- sões são conduzidas pelos coordenadores e equipe do projeto – professores e estagiários do Curso de Comuni- cação Social do Unileste. Em 2011, o projeto percorreu diversas comunidades carentes, totalizando 20 exibições em diferentes estabelecimentos de ensino, com plateias constituídas por um público adolescente, jovem e adulto, estudantes de 5a a 8a séries e professores. O Projeto tem contribuído sensivelmente para o desenvolvimento da região de atuação da Cenibra, que investe em educação e cultura, e proporciona integração da empresa com as comunidades dos municípios.

LOCALIDADES VISITADAS EM 2011:

Pingo D’água

Bom Jesus do Galho e Bugre

Gonzaga e Sardoá

Bela Vista e Sem Peixe

Sabinópolis, Paulistas e Peçanha