• (31) 3846-5745
  • atendimento@fgpa.org.br
Um novo tempo! Um novo site.

Recheado de conteúdo e atualizado frequentemente.

Lançamos nosso novo site. Recheado de conteúdo e atualizado frequentemente.

A FGPA está em constante evolução. Nosso objetivo é sempre oferecer o melhor serviço e atendimento ao público. Para manter está premissa lançamos nosso novo site. Recheado de conteúdo e atualizado frequentemente.

Um novo tempo! Um novo site.

Recheado de conteúdo e atualizado frequentemente.

Lançamos nosso novo site. Recheado de conteúdo e atualizado frequentemente.

A FGPA está em constante evolução. Nosso objetivo é sempre oferecer o melhor serviço e atendimento ao público. Para manter está premissa lançamos nosso novo site. Recheado de conteúdo e atualizado frequentemente.

previous arrow
next arrow
Slider

Projeto de Extensão

PVE INSTITUTO VOTORANTIM
O Instituto Votorantim

Os Princípios de Sustentabilidade da Votorantim estão alinhados às diretrizes do Pacto Global das Nações Unidas. Um dos princípios trata do desenvolvimento de comunidades como um valor e é neste contexto que o Instituto Votorantim atua, sendo o norteador estratégico da responsabilidade social da Votorantim.

O Instituto Votorantim foi criado em 2002 para direcionar o investimento em responsabilidade social das empresas da Votorantim. Sua missão é qualificar a atuação social das nossas empresas, contribuindo para a competitividade dos negócios e o desenvolvimento das comunidades.

O principal foco é assegurar que a presença de uma unidade Votorantim propicie melhoria na qualidade de vida das comunidades, o que resulta, também em um ambiente melhor para as empresas. A atuação está em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis, definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Ao longo de 2016, o Instituto Votorantim investiu em formação e transformação de realidades: R$ 108 milhões investidos, 719 mil pessoas beneficiadas em 340 programas e projetos, de 151 cidades, em quatro países. Adicionalmente ao trabalho de contribuir para a formação e manutenção de uma estratégia de Gestão Social dos Negócios, oferece às empresas da Votorantim um portfólio de soluções que visam fortalecer as alavancas sociais das localidades em que estamos presentes, em quatro eixos: Capital Humano, Capital Institucional, Capital Social e Dinamismo Econômico.

O PROGRAMA VOTORANTIM PELA EDUCAÇÃO (PVE)

A Parceria Votorantim pela Educação é uma iniciativa que busca contribuir para a melhoria da educação pública nos municípios onde a Votorantim atua, por meio da qualificação das práticas de gestão educacional e escolar e da mobilização social das comunidades onde atua. Existente de 2008, em 2018 o programa está presente em 104 municípios de 17 estados brasileiros.

Diferenciais da metodologia:

 

  • Desenvolvimento de competências profissionais de gestores educacionais e escolares.
  • Mobilização da comunidade em prol da educação.
  • Atendimento individualizado na modalidade PVE Individual.
  • Troca de experiências entre munícipios na modalidade PVE Polo.
  • Acompanhamento remoto constante e ambiente virtual de aprendizagem.

 

Modelo de Operação:

Visando contribuir para a melhoria da educação pública do município, o PVE atua em três frentes principais:

 

 

  • Frente de Mobilização Social: Nesta frente, o programa busca fortalecer a demanda por uma educação de qualidade, fortalecendo o papel dos diferentes setores da sociedade. A equipe PVE convida representantes de setores estratégicos da comunidade (pais, alunos, ONGs, igrejas, etc.) para realizar atividades que mobilizem toda a sociedade em torno do tema priorizado para a educação no município.

 

  • Frente de Apoio à Gestão Educacional: Nesta frente, o PVE busca fortalecer as competências profissionais dos gestores educacionais que contribuem para a melhor aprendizagem na rede. Nas atividades de formação, a equipe técnica traz elementos para a ampliação dos conhecimentos dos grupos sobre o tema em questão, provoca reflexões sobre como esse tema se desdobra na sua prática profissional e propõe a elaboração de atividades que consolidem os aprendizados.

 

  • Frente de Apoio à Gestão Escolar: Nesta frente, o PVE busca fortalecer as competências profissionais dos gestores escolares (diretores e coordenadores pedagógicos das escolas) que contribuem para a maior aprendizagem na rede. A formação busca qualificar a atuação dos diretores e coordenadores pedagógicos como representantes de uma comunidade escolar, responsáveis por cuidar das condições, não só administrativas, mas também pedagógicas para o sucesso da escola.

 

O PVE promove ações e oportunidades formativas para o desenvolvimento de competências em gestão e mobilização social, a fim de que os participantes possam contribuir, cada um em seu papel profissional e social, na melhoria da educação do município. Para acompanhar o desenvolvimento dos participantes foi desenvolvida uma Matriz de Competências, que abrange um total de 21 competências trabalhadas pelo programa e com potencial de favorecer a atuação eficiente de gestores educacionais e escolares e fomentar a mobilização da sociedade civil (8 competências na Frente de Gestão Educacional, 8 na Frente de Gestão Escolar e 5 na Frente de mobilização social).

Outro aspecto relevante do programa é que ele pode ser desenvolvido em 2 modelos de operação distintos:

 

  • PVE Individual: Quando o programa é implementado em apenas um município e todas as ações e atividades são focadas no mesmo.

 

  • PVE Polo: Quando é implementado em grupos compostos por núcleos de 2 a 4 municípios vizinhos, nos quais são trabalhados temas transversais à região e possibilita a troca de boas práticas.

FASES DO PROGRAMA EM 2018:

Em 2018 a FGPA venceu concorrência, aberta em nível nacional, sendo a entidade escolhida pelo Instituto Votorantim para compilar e analisar os resultados dos municípios participantes da Parceria Votorantim pela Educação (PVE) durante a realização do Ciclo 4 do programa, entre outubro e novembro de 2018, nos 104 municípios participantes.

Objetivo: compilar e analisar a evolução da maturidade de cada um dos 104 municípios participantes do PVE em 2018, a partir dos resultados da Matriz de Competências do programa e de dados qualitativos coletados em municípios selecionados, nas três frentes de atuação (Gestão Educacional, Gestão Escolar e Mobilização).

Atividades:

Verificar a neutralidade do processo de aplicação da Matriz de Competências

  1. Acompanhar presencialmente a aplicação da Matriz de Competências do PVE nas frentes de Gestão Educacional, Gestão Escolar e Mobilização, visando garantir que ocorra dentro do roteiro preestabelecido pelo Instituto Votorantim, em 22 municípios, durante o Ciclo 4.
  2. Fazer auditoria de 25% das reuniões gravadas, referentes às localidades onde não haverá acompanhamento presencial (60 reuniões).

Realizar análise qualitativa da implementação do programa em municípios selecionados

III. Estruturar metodologia para análise qualitativa da implementação do programa, visando identificar fortalezas, legado e pontos de melhoria da metodologia do programa.

  1. Realizar análise qualitativa da metodologia de implementação do programa em campo, em 12 municípios selecionados.

Consolidar e analisar todos resultados coletados no ciclo 4 em 104 municípios

  1. Tabular e consolidar todos os dados coletados da Matriz de Competências nos 104 municípios, nas frentes de Gestão Escolar, Gestão Educacional e Mobilização.
  2. Analisar os resultados e produzir relatório final.

APERAM / COLÉGIO PADRE DE MAN: PROGRAMA P.A.R.

Programa PAR – APERAM: é uma iniciativa da APERAM que objetiva o desenvolvimento da iniciação científica entre jovens técnicos. É uma oportunidade para que os alunos exercitem os seus conhecimentos em um projeto de aplicação prática e em escala industrial. O convênio realizado entre APERAM, Colégio Padre de Man e FGPA para realização de um programa de iniciação científica de nível técnico envolveu alunos do curso de Automação Industrial e Informática. 2018 também foi um ano que trouxe uma experiência muito significativa na aprendizagem dos alunos do Colégio Padre de Man, que puderam na prática desenvolver o conhecimento adquirido na escola e ainda colaborar com o desenvolvimento de novas metodologias na Empresa. O projeto teve duração de 8 (oito) meses e foi avaliado positivamente pelas Diretorias da APERAM e do Colégio.

PROJETO “FAZ DE CONTOS: CONTOS AFRICANOS E AFRO-BRASILEIROS EM PERFORMANCES CULTURAIS (FUNDAÇÃO VALE).

Contextualização do tema do projeto – situação atual

A relevância desse projeto está na importância da contação de histórias para o desenvolvimento da criança e na primazia aos contos africanos e afro-brasileiros. Contar histórias contribui efetivamente com aprendizagens sociais, afetivas, culturais e cognitivas das crianças, inclusive, no processo de aquisição da leitura. Além disso, com os contos as crianças acessam o elemento mágico e a multiplicidade de sentidos, podem adequar conteúdos inconscientes às fantasias, construindo identidade e se fortalecendo para lidar com conflitos do mundo interno e externo. Contar histórias africanas nas escolas, onde reinam personagens de um modelo eurocêntrico, contribui para fortalecer a autoestima de crianças negras e afro-descendentes. Ressalmos que a ONU proclamou a Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024) e que esse projeto coopera para maior conhecimento, reconhecimento e respeito pela cultura e patrimônio desses povos, no Brasil.

FUNDAMENTAÇÃO DO PROJETO.

Descrição da ação social

O Projeto Faz de Contos articula teatro, ritmos, contos e artes plásticas em atividades lúdicas e interativas de contação de histórias africanas e afro-brasileiras para crianças, professores e familiares, em ambientes educativos. O trabalho terá como principal foco instituições públicas de áreas periféricas das cidades, que atendem crianças entre 03 e 09 anos. Dados indicam que uma significativa parcela desse grupo é de descendência afro-brasileira. O projeto visa contribuir para o desenvolvimento afetivo-emocional, social e cognitivo dos sujeitos envolvidos; potencializar a construção de novos significados na relação escola, família e comunidade; favorecer o fortalecimento de vínculos familiares; promover o desenvolvimento da autoestima e valorizar a identidade afro-brasileira; contribuir para aprendizagens relacionadas à aquisição da leitura, interpretação e expressão oral. No intuito de propiciar a continuidade da contação de histórias, tanto nas escolas, quanto nos lares, serão realizadas oficinas de capacitação para professores e familiares. Além disso, a associação entre contos e artes plásticas, por meio da pintura de painéis coletivos, possibilita outra forma de expressão simbólica dos contos, das emoções que eles despertam, de sua interpretação e reconto em processos interativos. No projeto haverá as seguintes atividades: sessões de contação de histórias, oficinas de ilustração, oficinas de capacitação em contação de histórias, evento final.

 

Situação esperada

Por meio das ações do projeto pretende-se contribuir para a transformação dos ambientes educativos por meio da contação de histórias e de expressão de artes plásticas, favorecendo assim um processo de aprendizagem mais criativo, dinâmico e lúdico. Busca-se também uma efetiva valorização e reconhecimento da cultura africana e afro-brasileira contribuindo para maior autoestima de crianças negras e/ou afrodescendentes. Por meio do curso de capacitação para educadores e familiares pretende-se capacitar as pessoas para dar continuidade às experiências de contação de histórias no cotidiano de instituições educativas e em família. Além disso, serão disponibilizados para as bibliotecas das instituições educativas participantes do projeto, recursos didáticos relativos a contação de histórias, a saber: painéis de ilustração de contos africanos; CDs com livros digitais das histórias contadas nas escolas ilustrados com imagens dos painéis; obra acadêmica referente a Contação de histórias, para fundamentação teórica dos educadores.

Público alvo

  1. Diretos

Total de beneficiados indiretos (número aproximado): 2100

Toda comunidade escolar será atendida indiretamente por meio da exposição dos painéis na escola, além disso, a permanência dos mesmos na biblioteca irá propiciar atividades didáticas de reconto das histórias e produção de textos em outras turmas e em anos posteriores. A partir da capacitação dos professores e familiares em contação de histórias novos alunos e também outros integrantes das famílias serão beneficiados com experiências de contação de histórias

 

Abrangência territorial

As atividades acontecerão nas cidades de Belo Oriente e Coronel Fabriciano: Belo Oriente – Escola Municipal Hilda Morais.  Coronel Fabriciano – Escola Municipal Joaquim de Ávila Neto

 

 

Metodologia

Trabalho multidisciplinar com profissionais de teatro, contação de histórias, pedagogia, psicopedagogia, artes plásticas e arte terapia, utilizando as seguintes estratégias: (1) PESQUISA E SELEÇÃO DE CONTOS africanos e afro-brasileiros. (2) CRIAÇÃO E ENSAIOS das performances de histórias; criação e confecção de figurinos. (3) DIVULGAÇÃO DO PROJETO. (4) CONTATOS E VISITAS ÀS INSTITUIÇÕES para confirmar agenda de ações e divulgação. (5) SESSÕES DE CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS para as crianças, educadores e familiares. (6) OFICINAS DE ILUSTRAÇÃO para as crianças: pintura de painéis. (7) OFICINAS DE CAPACITAÇÃO em contação de histórias para educadores e familiares – atividades teóricas e práticas com jogos de expressão corporal, expressões da cultura afro-brasileira, metodologias de contação de histórias e reflexões enfatizando a importância dessa prática no desenvolvimento humano. (8) EXPOSIÇÃO DE PAINEIS. (9) EVENTO FINAL – socialização de experiências, avaliação e proposição de novos momentos de contação de histórias nas cidades.

PREGÃO 01/2018 – PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL FABRICIANO

A FGPA participou do Pregão 01/2018, cujo Edital foi lançado pela Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano, e executou serviços técnicos especializados multidisciplinares necessários ao desenvolvimento institucional daquela Prefeitura, divididos em 3 eixos temáticos: Eixo 1 (Auditoria Operacional); Eixo 2 (Cidades Sustentáveis / Cidadãos do Futuro) e Eixo 3 (Planejamento Urbano / Plano Diretor / Captação de Recursos).

 

Eixo 1 – AUDITORIA OPERACIONAL: Segundo o TCU (2010), a Auditoria Operacional é o processo de coleta e análise sistemáticas de informações sobre características, processos e resultados de um programa, atividade ou organização, com base em critérios fundamentados, com o objetivo de aferir o desempenho da gestão governamental, subsidiar os mecanismos de responsabilização por desempenho e contribuir para aperfeiçoar a gestão pública. A FGPA atuou nas seguintes frentes: Auditoria Patrimonial; Auditoria de Licitações; Auditoria Contábil.

Registro fotográfico de visita do Auditor – Frota de Veículos da PMCF.

Eixo 2 – CIDADES SUSTENTÁVEIS / CIDADÃOS DO FUTURO: projeto desenvolvido pela FGPA em parceria com a Secretaria de Governança Educacional do município de Coronel Fabriciano. Faz parte do planejamento estratégico do governo municipal e está sendo desenvolvido por meio de vários eixos e, no que se refere à educação, busca-se o desenvolvimento de ações, em consonância com o Plano Municipal de Educação PME -2015 a 2025, levando em consideração o que prevê a legislação em vigor, especialmente, a Lei de diretrizes e Bases da Educação Nacional, Nº 9394/1996 nos artigos 70 e 71.

Objetivos Específicos:

  • Desenvolver atividades de qualificação da gestão educacional, por meio de capacitação dos gestores e da implantação dos programas Cidades Sustentáveis e Cidadãos do Futuro.
  • Elaborar indicadores e metas educacionais, visando ao fortalecimento das atividades de planejamento e gestão das unidades escolares, conforme previsto na meta nº 19 do Plano Municipal de Educação.
  • Desenvolver atividades de análise das condições e necessidade de planejamento e execução de ações que visem à eficiência energética e hídrica das unidades escolares.

Justificativa: A Secretaria de Governança educacional, em atendimento ao que está definido no Plano Municipal de Educação- PME e, em consonância à legislação em vigor, especialmente a Lei de Diretrizes e Bases pretende implementar dois programas: Cidades Sustentáveis e Cidadão de futuro. O primeiro oferece uma plataforma que funciona como uma agenda para a sustentabilidade, incorporando de maneira integrada as dimensões social, ambiental, econômica, política e cultural e abordando as diferentes áreas da gestão pública em 12 eixos temáticos. A cada um deles estão associados indicadores, casos exemplares e referências nacionais e internacionais de excelência. Neste projeto buscar-se-á qualificar a gestão educacional, tanto no âmbito da SGED, quanto em todas as unidades escolares implantando a cultura de trabalho com indicadores e metas, bem como de monitoramento e avaliação.

O programa Cidadão de futuro consiste na capacitação dos educadores da rede de ensino municipal, sendo os mesmos responsáveis por multiplicar o conhecimento adquirido nos treinamentos para os alunos e estes, por sua vez, serem os multiplicadores das ações para suas famílias. O Programa possui 3 vertentes amplas e de intensa contribuição para o desenvolvimento sustentável: a energia, a água e os resíduos.

Os três temas serão objeto de estudo nas escolas durante todo o ano, sendo 3 meses para cada um. A equipe técnica, junto aos educadores, alunos e famílias realizarão uma grande jornada de aventuras teóricas e práticas nos 3 assuntos, buscando o aprofundamento dos temas em uma metodologia desenvolvida para incentivar a criatividade por meio de atividades práticas, permitindo a autonomia dos educadores de estabelecerem atividades que estimulem os alunos a integrarem a teoria com a realidade de uma forma muito mais interessante e atrativa.

Os alunos ao aprenderem com os educadores os temas trabalhados, receberão uma cartilha contendo os principais pontos abrangentes sobre os 3 temas. Com a cartilha em mãos e com a autonomia dada ao educador para criar e executar ações dentro dos temas, o Programa se torna um projeto interdisciplinar.

Assim, por exemplo, um professor de matemática pode trabalhar com os alunos como se lê uma conta de energia e como se calcula o consumo de energia de um aparelho, um professor de português pode trabalhar uma redação sobre o uso consciente de energia, e um professor de educação física pode trabalhar como a energia é importante para os movimentos do corpo e da mente.

Ao final de cada tema escola, educador e aluno que mais se destacarem receberão uma premiação como forma de incentivo à continuidade das ações após a implantação do projeto.

Os dois Programas serão implantados, a partir de 2018 e atenderão, também, à Lei Federal 13.257, que institui o Marco Legal da Primeira Infância que estabelece e consolida uma série de direitos das crianças de zero a seis anos completos e visa ao desenvolvimento de ações de efetivo auxílio e promoção familiares, bem como de atenção à educação, saúde, lazer, cultura, ao direito de brincar e de frequentar espaços culturais, propiciando também o reconhecimento da criança como agente produtor de cultura.

O programa Cidadão do Futuro valoriza e inclui a participação da criança na definição das ações que lhe digam respeito e no aprimoramento da garantia da oferta dos serviços, conforme o artigo. 4º da referida lei, o que reforça o papel da criança como cidadã.

Produtos Esperados:

  1. Elaboração de plano de eficiência energética e hídrica em todas as unidades escolares;
  2. Prestação de serviços de engenharia para a análise das condições das unidades Escolares, no que se refere aos gastos com energia elétrica e água;
  3. Execução de ações para redução de gastos com energia elétrica e água;
  4. Implantação dos 5 R´s dos resíduos nas escolas e melhoria do saneamento básico do Município;
  5. Elaboração de Banco de Dados de consumo de energia e água das escolas;
  6. Construção de cartilha visando à conscientização da comunidade escolar sobre educação sustentável e para a preservação do meio ambiente;
  7. Prestação de serviços de consultoria para a gestão educacional estratégica, capacitando os gestores educacionais na elaboração e indicadores e metas para melhoria da performance educacional;
  8. Capacitação de gestores educacionais para a apropriação e o uso da plataforma do programa cidades sustentáveis;
  9. Implantação do programa cidadão de futuro com a elaboração de metas e projetos institucionais que visam ao protagonismo infantil e juvenil na definição e participação nas definições de políticas públicas;
  10. Relatórios parcial e final das atividades realizadas e comprovação dos resultados alcançados.

Eixo 3 – PLANEJAMENTO URBANO / PLANO DIRETOR / CAPTAÇÃO DE RECURSOS

A – Apresentação

O crescente processo de urbanização que vem ocorrendo no Brasil tem provocado alterações substanciais na rede de cidades e nos seus entornos rurais, sobrecarregando o poder público no atendimento às demandas e necessidades das populações. Essa tendência de urbanização no Brasil alavancou o processo de descentralização de responsabilidades, consubstanciada na Constituição Federal em 1988, a partir da qual os municípios assumiram novos papéis, estabelecendo novas formas de relação com a sociedade e buscando maior responsabilidade e eficiência na alocação de recursos.

B – Objetivos Específicos

Consultoria na revisão do Plano Diretor e outros de Mobilização Urbana e promover a Captação de Recursos.

Atualizar informações que subsidiaram a elaboração do Plano Diretor dentro dos temas prioritários: aspectos regionais, ambientais, socioeconômicos, sócio espaciais, patrimônio histórico e cultural, paisagístico e arqueológico, infraestrutura e serviços públicos, mobilidade e circulação, institucionais;

Confrontar o Plano Elaborado com o atual Plano Diretor;

Compreender as potencialidades e problemas do município a serem equacionados a partir do Plano Diretor em seus aspectos urbano e rural;

Compatibilizar as questões levantadas na leitura técnica com as políticas e planos setoriais como: Mobilidade Urbana, Habitação, Saneamento, Socioeconomia, Patrimônio Histórico, Uso e Ocupação do Solo, Meio Ambiente, Turismo e Cultura.

Adaptar os instrumentos legais à Constituição Federal, Constituição Estadual e Lei Orgânica Municipal, às Leis Federais nº 6.766, 19 de dezembro de 1979 e 9.785, 29 de janeiro de 1999 e nº 10.257, 10 de julho de 2001 e outras pertinentes;

Definir o macrozoneamento e o zoneamento de todo o território municipal com vistas ao desenvolvimento sustentado;

Apresentar diretrizes para implantação e organização da infraestrutura e dos serviços públicos;

Incluir no Anteprojeto de Lei de Revisão do Plano Diretor a possibilidade do Município adotar, a partir de Leis Municipais específicas, os instrumentos disponíveis no Estatuto da Cidade;

Regulamentar, em Anteprojetos de Leis específicos, os instrumentos do Estatuto das Cidades cabíveis, em função dos objetivos e diretrizes de ação propostos para o plano;

Propor os mecanismos e instrumentos que possibilitem a implementação pelo Município de sistema de atualização, acompanhamento, controle e avaliação constantes do processo de planejamento;

Propor formas alternativas ao transporte público para circulação de pessoas (ciclovias, transporte coletivo etc.).

C – Justificativa

Por definição, o Plano Diretor Municipal constitui um instrumento de planejamento urbano e municipal indispensável e permanente à determinação das intervenções a serem executadas pelo poder público municipal, de maneira coordenada e articulada. Deve permitir a indução de um processo de planejamento contínuo que vise à ampliação dos benefícios sociais, à redução de desigualdades, à garantia de oferta de serviços e equipamentos urbanos, bem como à redução dos custos operacionais e de investimentos, como também à garantia da propriedade. Deve ainda atender às exigências fundamentais de ordenamento das cidades, para que se cumpra a sua função social.

O Estatuto da Cidade dispõe também que, para garantir a gestão democrática da cidade, deverão ser utilizados os seguintes instrumentos, entre outros: (I) órgãos colegiados de política urbana, nos níveis nacional, estadual ou municipal; (II) debates, audiências e consultas públicas; (III) conferências sobre assuntos de interesse urbano, nos níveis nacional, estadual, regional e municipal; (IV) iniciativa popular de Projeto de Lei e de planos, programas e projetos de desenvolvimento urbano.

Projeto "Intervenção Urbana Multidisciplinar / Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano e Caixa Econômica Federal"

A FGPA foi vencedora do Processo Licitatório da Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano – Tomada de Preços n. 025/2011. Assim, a partir de outubro de 2011, vem executando o Projeto de Extensão “Intervenção Urbana Multidisciplinar: trabalho técnico social vinculado ao Programa Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social 2007 (FNHIS)”, em parceria com a Secretaria Municipal de Obras, Serviços Urbano e Meio Ambiente. A ação deste Projeto é voltada para o apoio à construção habitacional para famílias de baixa renda. Tem como objetivo apoiar estados, Distrito Federal e municípios na melhoria do padrão mínimo de salubridade, segurança e habitabi- lidade das edificações, produzidas no âmbito do processo de autogestão habitacional no país. As ações progra- madas se darão por intermédio de apoio à prestação de serviços de assistência técnica, assim entendida como o conjunto de ações voltadas à elaboração de projetos, acompanhamento e execução da obra, trabalho social e jurídico necessários para a edificação, reforma, ampliação, conclusão ou regularização fundiária da habitação. Em novembro de 2011, a FGPA, em parceria com o Setor de Extensão do Unileste, executou as seguintes ações:

Reuniões realizadas no bairro Morada do Vale – Coronel Fabriciano – MG, nos dias 3 e 17 de novembro de 2011, com início às 16h30. Local: Centro Comunitário Morada do Vale.

Tema: Encontros sócioeducativos nas áreas de Educação Ambiental, Educação para a Saúde, oficinas e capacitações relacionadas à geração de renda, esporte, lazer e cultura.

Objetivo: a melhoria das condições de vida da população residente nos bairros Morada do Vale e Aparecida do Norte.

Metodologia de Trabalho: atividades como palestras, debates, oficinas, eventos culturais, gincanas, dentre outras. As atividades visam propiciar a participação ativa dos membros da comunidade por meio de ações prazerosas, lúdicas e dinâmicas.

Temas desenvolvidos na área de Educação Ambiental (com vistas à proteção da natureza e da biodiversidade): Relação homem x meio-ambiente; Redução da poluição; Lixo; Hortas e pomares.

Temas desenvolvidos na área de Saúde (com vistas à educação para a Saúde): Cuidados com a Saúde buscando o completo bem-estar físico, psíquico e social e contribuindo para a qualidade de vida de todos; levar informações e atividades para a comunidade (adultos e crianças), orientando e educando sobre a Educação para a Saúde.

Temas desenvolvidos na área de Educação Patrimonial (com vistas à educação patrimonial): identificação das melhorias nos espaços privados e coletivos; preservação da memória; identificação da melhor forma de utilização dos novos espaços; preservação e manutenção das obras realizadas e dos novos espaços públicos implantados.

Processo Seletivo de Aprendiz de Ofício – APERAM SOUTH AMERICA

Em outubro de 2011, a FGPA mais uma vez prestou esse importante trabalho, para a Empresa APERAM SOUTH AMERICA. O Processo Seletivo de APRENDIZ DE OFÍCIO consta de: elaboração de provas classificatórias de Português, Matemática e Conhecimentos Gerais; aplicação e correção das provas; elaboração de Relatório Final com notas e classificação. A aplicação das provas – etapa bastante criteriosa do processo – aconteceu no dia 30 de outubro. Foram utilizadas as dependências do Bloco V do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste), no campus de Coronel Fabriciano, como também o estacionamento central e Bloco B (recepção / área de descanso para os acompanhantes dos candidatos).

Pela quinta vez consecutiva o trabalho foi realizado com rigoroso padrão de sigilo, segurança e qualidade que a FGPA tem mantido desde sua primeira participação no processo. A equipe da FGPA foi composta por Coordena- dores, Vigilantes, Socorristas, Volantes e Fiscais de Sala.

Gestão Compartilhada do Centro de Saúde João Otávio - CSJO – Timóteo / MG

A FGPA participou, em agosto de 2011, de Chamada Pública realizada pela Prefeitura de Timóteo – MG, que buscava uma Organização Social para credenciamento na área da SAÚDE, com vistas a um projeto de Gestão Compartilhada a ser executado no Centro de Saúde João Otávio, localizado no bairro Olaria II, naquele Municí- pio. A FGPA venceu o processo licitatório e, a partir de novembro de 2011 tornou-se responsável pela gestão administrativa e de recursos humanos do CSJO. Este processo é respaldado pela Lei das Organizações Sociais n. 9.637 de 15/05/1998, e Lei Municipal de Timóteo n. 3.122 de 1o/12/2010. A FGPA foi credenciada por meio do Decreto Municipal n. 4.237 de 15/09/2011. As primeiras ações no CSJO foram: admissão de pessoal necessário para o desenvolvimento das atividades; elaboração e execução de um plano de ação nas áreas de recuperação da infraestrutura, tais como: reforma dos telhados, pintura, substituição de móveis, recuperação do ar condicionado central e instalação de novos condicionadores de ar em todo o restante do prédio, melhorias no posto de enfermagem e diversas outras ações. Feito o levantamento de prioridades, teve início a reforma completa dos telhados. Importante destacar que todas as melhorias seguem rigorosamente as Normas Técnicas pertinentes.

Cinema Comentado na Estrada / 2011

A Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu foi responsável pela gestão do Projeto de Extensão ‘Cinema Comentado: na Estrada’, que se realiza nas comunidades de atuação da Cenibra. O Projeto tem por objetivo contribuir para a formação de uma consciência crítica nas comunidades formadas pelos empregados, familiares e prestadores de serviços da empresa. Os temas desenvolvidos abordam situações do cotidiano, com destaque para a Educação Ambiental, foco principal dado pela Cenibra. A partir da exibição de obras cinematográficas, o Projeto busca estimular a discussão e reflexão sobre temas diversos relacionados ao dia a dia das comunidades. A escolha dos filmes é feita levando-se em consideração as visitas prévias de sensibilização às escolas, quando são identificadas as temáticas de maior interesse e urgência por parte das comunidades. A projeção dos filmes acontece em um telão, instalado no Cenibra MÓVEL, no pátio das escolas e praças públicas. Após a exibição, as reflexões e discus- sões são conduzidas pelos coordenadores e equipe do projeto – professores e estagiários do Curso de Comuni- cação Social do Unileste. Em 2011, o projeto percorreu diversas comunidades carentes, totalizando 20 exibições em diferentes estabelecimentos de ensino, com plateias constituídas por um público adolescente, jovem e adulto, estudantes de 5a a 8a séries e professores. O Projeto tem contribuído sensivelmente para o desenvolvimento da região de atuação da Cenibra, que investe em educação e cultura, e proporciona integração da empresa com as comunidades dos municípios.

LOCALIDADES VISITADAS EM 2011:

Pingo D’água

Bom Jesus do Galho e Bugre

Gonzaga e Sardoá

Bela Vista e Sem Peixe

Sabinópolis, Paulistas e Peçanha

Processo Seletivo Interno “Profissionais do Amanhã” - ARCELORMITTAL INOX BRASIL

Consistiu na elaboração, validação interna e externa, aplicação e correção das provas, além da elaboração do Relatório Final. O objetivo do Processo Seletivo Interno foi a classificação de colaboradores da ArcelorMittal (programa de desenvolvimento de Recursos Humanos), com possibilidade de alteração de seu cargo na empresa (progressão vertical). O projeto foi considerado um sucesso, atingindo todos os objetivos propostos, realizado com profissionalismo e seriedade – marca registrada da Fundação Geraldo Perlingeiro Abreu.

Processo Seletivo do Município de Timóteo - EDITAIS 01 e 02 / 2011

Vencedora do Processo Licitatório para gestão dos Processos Seletivos referentes aos Editais 01 e 02 / 2011 do Município de Timóteo, a Fundação Perlingeiro Abreu demonstrou seu profissionalismo em executar projetos dessa dimensão com transparência, seriedade e segurança. No Edital 01 / 2011, as provas aconteceram no dia 23 de janeiro de 2011, com o comparecimento de 2.568 candidatos das áreas de Assistência Social e Educação. No Edital n. 02 / 2011 – áreas de Saúde e Obras, as provas foram também aplicadas em 20/02/2011 para 4.999 candidatos confirmados. Para ambos os Editais, foram utilizadas diversas escolas do Município de Timóteo, as instalações do Centro Educacional Católico (CEC-MG) e campus do Unileste em Coronel Fabriciano.